Quero reformar e agora?

Um dos maiores agravantes de gastos indevidos numa construção ou reforma é a falta de planejamento e cronograma.

Um dos maiores agravantes de gastos indevidos numa construção ou reforma é a falta de planejamento e cronograma. Pela ansiedade ou pressa, deixamos de lado itens importantes, mas muitas vezes esquecidos.

Às vezes fazemos um primeiro orçamento com um marceneiro e já o contratamos, depois chamamos o eletricista e fechamos, ai contratamos o gesseiro e você descobre que o gesseiro não passa a fiação pelo forro, e você já fechou com o eletricista, sendo que quem faria isso é o gesseiro.

E agora: chamar uma terceira pessoa ou agüentar o preço alto que o eletricista vai impor? O preço vai crescendo e nem vemos, e infelizmente paramos a reforma na metade.Por isso um planejamento é interessante. Sugiro um estudo detalhado antes de iniciar qualquer item. Se for uma reforma que envolva vários funcionários de especialidades diferentes, consulte uns dois ou três de cada, faça uma planilha e compare os preços.

Na maioria das vezes é apenas orçado a mão de obra e o material fica por conta do cliente.

Fique atento a isso, pois os orçamentos podem ter grandes diferenças de preço e acabamos por escolher mais barato, o que acaba saindo mais caro, pois teremos que comprar todo o material de construção achando que já estava incluso. A ordem mais lógica para uma reforma residencial seria começar pelo projeto e especificação de materiais. Se bem feito, é um elemento essencial para se contratar, comprar e executar tudo. Nele devem estar as dimensões de todos os elementos novos e existentes, paginações de piso, códigos de cores, metragens quadradas de piso, forro, parede, perímetros, disposição dos móveis, etc.

Com o projeto em mãos se inicia a fase dos orçamentos, e é agora que você vai ver se o que escolheu saiu ou esta dentro das expectativas. E o melhor é que você não gastou nada até agora e já sabe tudo o que vai ocorrer na sua reforma. Com esta planilha pronta começa a contratação dos serviços. Um cronograma é muito útil e deixa todos sincronizados e acelera a obra.

Tente não mudar mais o projeto, nem materiais, pois é agora que os gastos acontecem, pois o pedreiro vai querer cobrar a mais por aquela parede que não estava prevista para ele demolir, o pintor vai reclamar da cor da tinta que ficou mais cara, pois ele havia orçado com uma cor mais barata.  Seguindo o projeto, não tem como sair do orçamento.
Quem deve entrar primeiro para trabalhar na obra?

1. Pedreiro, encanador, eletricista entram praticamente juntos, pois todos vão quebrar e sujar alguma coisa, pisos cerâmicos e pedras também entram agora (aconselhável proteger o piso depois de pronto, pois ainda há muita gente para trabalhar).

2. Ar condicionado

3. Gesseiro, ele precisa da parte elétrica pronta para fazer forros, sancas e paredes de gesso.

4. Pintura, o pintor já entra para massear o gesso e pintá-lo, mas é sempre bom pedir para ele só dar uma demão de tinta nas paredes, pois sempre vai ter alguém para sujar depois que ele sair.

5. Madeira, laminados e emborrachados entram agora.

6. Instalação de luminárias sensíveis

7. Móveis embutidos

8. Carpete de nylon

9. Móveis soltos e eletrodomésticos

10. Ultima demão de pintura para finalizar.

Para reformas residenciais quase sempre é esta a seqüência mais adequada.Seguindo estes passos fica fácil minimizar os preços da reforma, além de manter o cronograma sem perder tempo.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *